Como escolher seu fone de ouvido

Sem dúvidas, o melhor amigo do DJ é o seu fone de ouvido. Independente do que ele use pra tocar, seja de vinil, CDs, mp3, um bom fone de ouvido é vital para qualquer performance.Todo DJ, seja ele um total iniciante ou a maior lenda dos decks, precisa de um bom fone de ouvido.

Afinal, para mixar músicas é necessário escutar a próxima música (a chamada pré-escuta), para acertar a mixagem com a atual, antes de botar todo mundo pra escutá-la. Mas então qualquer fone de ouvido presta? Negativo. Quando estão tocando, DJs têm necessidades específicas, bem diferentes das que uma pessoa tem quando está escutando seu iPod ou está em casa curtindo aquele som de alta qualidade de uma orquestra sinfônica.
Por isso, existem fones de ouvido próprios para DJs, que apesar de parecerem comuns, têm características que atendem às necessidades de quem está discotecando.

O que um fone para DJ precisa ter?
Fones para DJs não são muito diferentes de outros fones, mas possuem detalhes necessários que fazem deles mais apropriados que outros fones de ouvido, mesmo mais caros:
Isolamento: se for possível dizer que existe uma característica essencial em fones para DJ, sem dúvidas é esta. Como DJs estão sempre tocando em lugares com som alto, o fone precisa isolar muito bem a barulheira de fora, para que ele possa escutar a próxima música e acertá-la com precisão para a próxima mixagem. Fones para DJs precisam "abafar" bem o som de fora.

 

Resistência: se tem alguém que consegue colocar um fone de ouvido à toda prova, esse alguém é um DJ. Um fone precisa ser resistente pois o DJ está o tempo todo tirando-o e colocando-o de volta na cabeça, transportando em meio a discos e outras tralhas dentro do case, e encarando todo o tipo de maus tratos: som alto, suor, calor, fumaça e sujeira. É preciso também que ele seja forte e aguente levar trancos ou mesmo cair no chão ( imagine se um DJ deixa o fone cair e o mesmo se quebra no meio de uma apresentação)
 

Articulação: existem diversas formas de usar um fone, cada DJ tem a sua. Preso à cabeça como uma tiara, por trás da nuca ou apoiado no ombro. O fone precisa ter articulações em seu corpo para poder se adaptar à necessidade do DJ, que sempre deve usá-lo em apenas um dos ouvidos, e, por isso, vai de cada um.
 

Cabo: importantíssimo ser longo e bem resistente. Um DJ precisa ter mobilidade ao lidar com os equipamentos, ao catar e guardar discos, e o ideal é que o fone esteja sempre pendurado à cabeça. Muitos gostam de cabos em espiral, como os de aparelhos de telefone, por ficarem menores quando o DJ está perto do mixer. Já outros não gostam, por acharem que eles enroscam mais. É uma decisão pessoal quanto a isto. Por último, o cabo sempre tem que ser único, sem aquela divisão que leva um fio pra cada fone ? isto é algo que definitivamente atrapalha. E removível, pra você não ficar na mão caso o fio arrebente.
 

Peso: ficar tocando por mais de uma hora com um fone pesado pode ser desagradável. Leve em conta que quaisquer 50 gramas podem fazer diferença. Do contrário, você pode acabar se sentindo uma Carmem Miranda com um arranjo na cabeça.
 

Qualidade do som: este é um fator também importante, mas não muito. Fones pra DJs têm que falar bem para que o mesmo tenha uma referência legal da música que vai entrar e não pague mico ao soltar uma música com o grave distorcendo ou com agudos que vão fazer os tímpanos da audiência sangrarem. Mas no geral, fones para DJs falam "alto e claro", e não com qualidade eles só precisam não comprometer.

Quanto pagar por um fone?
Esta é sempre outra questão bem polêm
ica. Aqui no Brasil, fones para DJs variam de 100 a 700 reais, uma diferença brutal. É claro que esta diferença não acontece à toa: você nunca vai encontrar a qualidade de um fone mais caro em um modelo dos mais baratos.
A questão aqui é muito individual: tem gente que prefere comprar modelos mais baratos de tempos em tempos, e tem os que preferem fazer uma boa compra e ter um produto que vai durar mais tempo.
Ambos têm suas vantagens e desvantagens. Um fone barato tende a durar menos, mas custa pouco, logo é fácil de repor. Porém ele pode te deixar na mão naquele ápice da sua melhor apresentação. Um risco enorme. Já fones mais caros realmente duram mais, mas não tem coisa pior que ver um fone de 700 reais quebrar do nada e sim, isto acontece também, afinal eles não são feitos de diamante.
Tente experimentar vários modelos de amigos, e ver qual você acha mais confortável tocar. No final é isso que vai importar, pois experiências individuais, cada um tem a sua, e você vai ver gente falando mal de um certo modelo, enquanto outros vão rasgar elogios. No geral, vale a clássica regra para qualquer compra: você vai ter de volta o quanto você vai pagar.


Algumas marcas que fazem sucesso no Brasil:

Stanton
Lyco
Sony
Pioneer
Technics
Numark

__________________________________________________________

Fonte do artigo desconhecida, enviado por Carlos D. e editado por Fernando Becker
Compartilhar este artigo :