Principais marcas de simuladores de Vinyl

Este artigo resume as principais características dos principais simuladores de vinyl do mercado.
Sendo eles:
Final Scratch 1.0
Final Scratch 1.1 – 1.5
Final Scratch 2.0
Final Scratch Open
Serato Scratch Live
M-Audio Conectiv
Traktor Scratch




FINAL SCRATCH... TRAGÉDIA GREGA OU FILME DE TERROR?
Final Scratch 1.0

O Final Scratch 1.0 foi o primeiro simulador de Vinyl no mercado. Lançado em 1999, inicialmente foi projetado para rodar em ambiente BeOS (plataforma baseada no sistema operacional do Apple). Quando o BeOS morreu, a N2IT (responsável pelo desenvolvimento do Final Scratch) se juntou à Santon que criou o Scratchamp (placa que ligava as pick-ups no computador e no mixer).
Na segunda versão, o Final Scratch rodava em um CD de boot do Linux Debian que na época era muito instável o que inviabilizou a utilização mais séria desta versão do Final Scratch.

Final Scratch 1.1 – 1.5
 
 
Estas versões do Final Scratch foram desenvolvidas com uma parceria da N2IT, Santon e Native Instruments, dona do famoso Traktor.
Desta parceria, surgiu o Traktor Final Scratch, uma versão limitada do Traktor que dava suporte a Timecode. Este programa rodava em plataforma Windows, Linux e Osx.
Apesar de ter se popularizado, esta versão do Final Scratch afundou devido a problemas do Scratchamp que tinha uma latência muito alta e frequentemente sofria com a queima de um dos canais de áudio, o que fazia o programa travar e obrigava ao usuário a adquirir outro Scratchamp.

Final Scratch 2.0
 
Durante muitos anos, este foi o melhor programa simulador de Vinyl do mercado. Nesta versão, o Scratchamp foi totalmente redesenhado, o que criou uma interface excelente, e a parceria entre a Santon e a NI se dava da seguinte maneira: A Santon ficara responsável pelo Hardware e distribuição e a NI do software e suporte técnico.
O Final Scratch 2 parou na versão 2.3 com a quebra da parceria entre a NI e a Santon, deixando todos os usuários do Final Scratch 2 na mão, já que ele só rodava na plataforma da Native Instruments. Hoje em dia, a NI está proibida pela Santon de dar surpote ao timecode Final Scratch em seus produtos.

Final Scratch Open
O Final Scratch Open é o último e agonizante suspiro da Plataforma Final Scratch no mercado. Apesar de utilizar uma placa de áudio excelente e barata (350 dólares na tabela), na prática esta plataforma não tem software... e o pior, como a Native Instruments está proibida de rodar Final Scratch, você se limita a utilizar a antiga versão 2.3, última a dar suporte.
Fuja desta plataforma. Estão falando de um Final Scratch 3.0 mas até agora não se tem notícias sobre a viabilidade desta plataforma.

SERATO SCRATCH LIVE: A SOLUÇÃO ESPARTANA
O Scratch Live conta com uma excelente placa de interface com baixíssima latência e um software simples mas estável. Utiliza conexão USB 1.1 que não atrapalha o desempenho da plataforma. O chato é o custo... 600 dólares.

M-AUDIO CONECTIV: CONCORRENTE DE PESO
A M-Audio lançou há dois anos o Conectiv, uma solução excelente, com baixa latência e baixo custo (cerca de 300 dólares) e que possui placa de som, ou seja, saem apenas 2 fios para o mixer, o que ajuda MUITO a organizar a cabine de som. O Software é muito estável e oferece suporte a plugins VST e samples. De pontos fracos, apenas o fato dele só rodar com o Conectiv. Por outro lado, a placa de som roda com praticamente todos os softwares do mercado. É uma excelente alternativa para o Traktor Scratch, que custa o dobro.
Uma das vantagens dessa placa é a possibilidade de desativar o recurso timecode direto na placa, caso o DJ queira tocar um disco de música.

TRAKTOR SCRATCH: O PODEROSO DO MERCADO
A primeira versão do Traktor Scratch conta com a união do software que é considerado por muitos o melhor do mercado, o Traktor 3, com a placa Audio 8, que supera a Scratchamp 2 da Serato. Esta placa é tão boa que até mesmo quando ocorre algum problema com o cabeamento ou a pick-up e o sinal vem em mono, ela roda sem problemas. Além disso, a placa tem várias entradas e saídas de áudio, e diversos leds na parte superior que facilita o monitoramento do sinal.
Infelizmente, esta solução custa em tabela 600 dólares.

NUMARK VIRTUAL VINYL: A NOVA PARCERIA DO MERCADO
O Numark Virtual Vinyl é uma solução que surgiu da parceria entre a Numark e a Atomix, produtora do Virtual DJ. O Virtual Vinyl custa cerca de 600 dólares.
Para quem gosta do Virtual DJ, esta placa funciona com a versão PRO e possui baixa latência. O único problema é o fantasma das parcerias entre empresas produtoras de software e hardware. Se a parceria entre Numark e Atomix terminar, existe a possibilidade dos usuários ficarem dentro d’água como no caso do Final Scratch.

VIRTUAL DJ PRO: O SOFTWARE “MACGYVER”
 



O Virtual DJ Pro é realmente “pau pra toda obra”. Além de ter ótimos recursos e, na minha opinião, a interface mais amigável do mercado, o VDJ PRO têm uma grande vantagem... oferece suporte a vários discos de Timecode o que é ótimo pois garante portabilidade. Ele suporta Serato Vinyl, Serato CD, Virtual DJ Vinyl, Virtual DJ CD, PCDJ, Misspinky, Torq Conectiv, genérico 1000Hz e genérico 2000Hz.
Além disso, existem versões tanto para Windows quanto para Osx (falta uma versão Linux não concordam?).
Custa 299 dólares mas depende também da compra de uma placa de som o que pode influenciar negativamente o software, caso a placa tenha uma latência muito alta.

CONCLUSÕES
Resumindo… Final Scratch é furada pois apesar da placa estar entre as 3 melhores do mercado, ou não conta com software nativo (versão open) ou fica preso a uma plataforma antiga (versão 2.0). A versão 1.0 e 1.5 do Final Scratch é uma furada ainda maior porque a placa de som não presta.
O Serato Scratch Live é uma boa plataforma mas o software é muito limitado e a plataforma é cara pelo que oferece.
O Virtual Vinyl eu acho que não vale a pena por causa do preço, apesar de gostar da interface, mas muitos DJs profissionais acham o Virtual Vinyl uma solução de baixa qualidade. Além disso, se a parceria entre a Numark e a Atomix acabar, como fica o produto?
Os “top” de mercado são, sem dúvida, o Traktor Scratch e o M-Audio Conectiv. Ponto forte do Traktor: o software é considerado o melhor do mercado. Ponto forte do Conectiv: Custo e um software muito completo (pelo que vi, com mais recursos que o da NI). Ambas as placas são excelentes e tem baixíssima latência.
Para mim, particularmente, a melhor pedida é o Virtual DJ Pro. Além de ser uma solução boa e barata, dá suporte a vários timecodes e você pode utilizar sua controladora midi (BCD3000, etc), desde que ela possua  entrada de som.

Artigo enviado pelo DJ Caco
Compartilhar este artigo :