Resumo Gig Tropical - 22-06-2010

Nesta última terça feira participei do programa Gig da Tropical FM 103,7, programa que é administrado pelo mesmo pessoal do MazUP.
O programa consiste em atualizar o publico da região do que rolou e do que vai rolar na  noites além de também contar com dicas de casas, sites e papo com convidados especiais, tudo relacionado ao entretenimento.
Ontem fui um dos convidados do programa, levantamos vários assuntos direcionados a musica, internet, meios de comunicação etc.
Infelizmente não tivemos a oportunidade de  abranger todos os assunto de uma forma completa afinal tínhamos um cronograma a seguir, é por isso que irei fazer uso do blog para dar maior enfase aos assuntos e quem não ouviu vai poder ler.

Se não me engano a primeira pauta que foi levantada falou sobre o que está acontecendo com o mercado dos Deejays, onde a cada dia surgem mais pessoas se intitulando profissionais do ramo.
Chegamos a uma conclusão rápida:
Todas as profissões são assim, mas para o Deejay isso é uma novidade, por isso desse alvoroço todo.
Concordo plenamente, afinal quem não gosta de musica? Então imagine botar seus amigos para dançar com as musicas que você está tocando, é uma coisa incrível e como hoje todos temos acesso a computadores e esses por si-só possuem softwares que virtualizam aparelhos de Deejays, por que não ter seu momento de Deejay?
Acho isso bacana, existem vários profissionais que reclamam mas eu acho legal, afinal o rapaz vai ser DJ de duas ou três festinhas de amigos e só isso, se ele persistir e estudar com certeza vai se atualizar, se fortalecer e quem sabe um dia estar entre os grandes. Tudo precisa de um inicio, e se o rapaz não se dedicar e investir em si mesmo com certeza não vai durar muito tempo. Por isso não vejo mal nenhum em fazer esse tipo de coisa, só não acho legal a galera que porque toca uma ou duas festinhas sai por ai se vangloriando que "é" Deejay.

Outro assunto discutido foi o uso de musicas baixadas "ilegalmente" da internet. Com certeza um assunto bastante polemico, mas é um fato que isso já se tornou rotina na vida de todos nós. Foi nesse momento que lembrei de uma entrevista do DJ Fabrício Peçanha onde foi-lhe feito um questionamento semelhante. A resposta foi basicamente a mesma da minha. 
Já está na hora dos artistas e gravadoras se conscientizarem que a internet está aqui para ficar e suas facilidades também, sendo assim por que cobrar dois dólares para uma musica que cem mil pessoas compram ao invés de cobrar cinquenta centavos pela mesma musica que um milhão de pessoas comprariam? Afinal, a praticidade confiança e abrangência de um site como o Beatport (por exemplo) é inigualável a qualquer acesso paralelo a musicas.
Além de que hoje existem muitos artistas que produzem suas tracks em casa e as disponibilizam para download, sem passar por agencia ou algo do gênero, sendo assim é uma forma livre de compartilhamento não sendo possível vê-la como pirataria.

Aqui entra novamente o assunto: Ta mas e agora todo mundo pode ser produtor? Sim, por que não? Mas se alguém vai ouvir o som do indivíduo ai é outra coisa. Além disso ser produtor é algo bastante exaustivo, se você não tem dom ou realmente interesse na coisa, vai sair fora mais rápido que entrou.
Acho que é por esse motivo que hoje temos tanto lixo musical, mas ai entra o novamente o Deejay que irá filtrar esse lixo e tocar apenas o que é agradável ao seu público.

Nesse tópico acabamos falando também sobre softwares, outra área onde a pirataria predomina, foi onde novamente dei minha opinião: Claro que ninguém tem condições de pagar trezentos dólares por um programa para apenas brincar com algumas musicas em casa. Mas acredito que no momento em que você ganha algum retorno com o equipamento que utiliza é justo que pague por ele, afina a empresa que o desenvolveu também teve gastos. Sem contar que no momento que usar algum software profissionalmente você terá que ter segurança e confiabilidade, algo que apenas um software original (limpo) pode lhe oferecer.

Falamos também sobre mídias sociais e o uso das mesmas.
As mídias sociais estão ai, tanto a nível pessoal quanto a nível empresarial a tendência é delas aumentarem a cada dia.
Resumindo rapidamente a paródia:
Claro os mais falados, Orkut, Facebook e Twitter.
Olá Facebook, adoro você com seu jeito de ser, elegância, praticidade, oportunidades e integração.
Olá Twitter, passarinho "cuti cuti" que leva informação a jato e se da bem com todo mundo, mas poucos se dão bem com você...por que?
Olá BrasilKut Orkut, comunidade para encontrar amigos do passado e tios, espero que melhore...

Gostaria de divulgar também a premiação de melhores DJs do RS do site Poabeat
01 – Federico Barco
02 – André Sarate
03 – Rodrigo Ayala
04 – Everson K
05 – Double S
06 – Fabrício Peçanha
07 – Pic Schmitz
08 – Marcelo Nuñez
09 – Juan Rodrigues
10 – Alec Araujo
11 – Rapha Costa
12 – Danni Martin
13 – Jeff Oliver
14 – Edinho Magalhães
15 – Branko
16 – Camila Vargas - Melhor Dj Mulher Do Rs (+ Votada)
17 – Karine Larré
18 – Mozart Riggi
19 - Jzk
20 – Márcio Ferraz

O site elege também as melhores casas, agências, VJ, entre outros, para conferir a lista completa acesse esse link.

É isso ai, espero que tenham gostado do programa e da matéria. Abraço especial a galera do @gigtropical!
Compartilhar este artigo :