Tecnologia e os DJs

Essa semana escrevi uma matéria para a coluna E-Papo do caderno Mazup distribuído com o jornal O Informativo, jornal esse de bastante circulação na região.

A coluna E-Papo é escrita por DJs e consequentemente a propósta é falar sobre música eletrônica e tecnologia.

Confira a matéria abaixo:



Estamos na era da tecnologia, era essa onde usamos vários equipamentos digitais para nossa comodidade e é claro para exercer funções com maior qualidade. No mundo dos DJs a tecnologia está sempre presente e avança muito rápido, mas, acredite, nem todos gostam disso.

Hoje existem programas de computador e equipamentos de custo relativamente baixo que com pouco treinamento lhe possibilitam fazer mixagens semelhantes as que são feitas pelos DJs profissionais. Isso gera certo descontentamento por parte de muitos DJs do mercado, por alegarem que qualquer pessoa que possui um computador, mesmo sem ter noção nenhuma de música, pode "atacar de DJ". Entenda isso como misturar duas músicas ajustando seus tempos, intensidade de volume e manipulação da equalização.

Então me pergunto: se DJs com experiência fazem alegações desse gênero o que eu devo esperar dessa profissão tão bacana? Tenho certeza que ser DJ não é saber fazer uma mixagem precisa manualmente, isso é questão de treinamento, eu levei certo tempo para fazer com perfeição, mas nada que dedicação não resolva. Parece que os DJs querem competir entre si e esquecem que o seu trabalho (e prêmio) é agradar o público, não importa o método usado, com certeza o público sai muito mais feliz de uma festa quando nenhuma agulha de pickup pula e nem quando o DJ "se perde" ao ajustar o pitch da sua CDJ 1000.

Nesse contexto entra também o quesito profissionalismo, onde alguns DJs acham que por gostarem de determinado gênero seu público também irá (terá que) gostar, mas isso é questão para outra hora...

Voltando a área da tecnologia, podemos destacar algumas possibilidades que um software lhe proporciona de modificar e manipular a música ao vivo com inserção de loops, efeitos, desmembramento e execução de vários canais simultaneamente.

A tecnologia está aí para ser usada, é uma evolução como qualquer outra que traz seus pontos positivos e negativos. Mas desmerecer um colega de trabalho por ele usar algum software para discotecar, é falta de ética e possivelmente informação, afinal, temos medo do que não conhecemos.

Existem vários TOP DJs que usam softwares para discotecar e alegrar seu público. Se lhe interessar, pesquise por alguns nomes como: Dubfire, Pete Tong, Richie Hawtin, Carl Cox, dentre outros.

Fico feliz em usar e saber que muitos profissionais da nossa região estão aderindo às novas tecnologias e proporcionam maior qualidade ao público, pois é isso que realmente importa.

Acesse meu blog: www.midideejay.com onde compartilho várias informações sobre tecnologia voltada a DJs profissionais e iniciantes.

DJ Fernando Becker
Compartilhar este artigo :